A cegonha vai pintar na sua casa? Veja dicas para se preparar financeiramente

A notícia de um bebê a caminho é sempre um acontecimento especial e recheado de emoções e momentos que devem ficar marcados para o resto da vida dos pais. Mas, também, é período para iniciar um bom planejamento financeiro para que os meses seguintes não comprometam o orçamento familiar.

A principal forma de estar preparado financeiramente para um determinado cenário é estimando quais serão os gastos futuros, só assim será possível definir quanto do orçamento já está comprometido com despesas obrigatórias e, dessa forma, definir as metas para otimizar o restante da receita. Com isso, o planejamento deve ser iniciado ainda nos primeiros meses de gravidez. Esse é um passo fundamental, uma vez que as despesas futuras no caso de um bebê é algo fácil de definir. Veja algumas dicas para começar o planejamento financeiro ainda no início da gestação:

Gastos iniciais antes mesmo do bebê nascer

Assim que o casal descobrir a gravidez é fundamental começar a organização financeira, pois as despesas começam antes mesmo do bebê nascer. Se o parto será feito em maternidade privada, então, esse é um custo a mais no orçamento. Além disso, também existem todos os gastos de acompanhamento médico, como é o caso do pré-natal, que visa manter a saúde da mãe e do bebê durante a gestação.

Definindo a frequência dos novos gastos

Será muito importante que os pais façam uma estimativa da frequência de gastos com itens para o bebê. Essas despesas são de itens básicos que não podem faltar para garantir o conforto e o bem-estar do recém-nascido. Alguns exemplos são: fraldas, lenço umedecido, pomadas, xampu, sabonete, cotonete, roupas, etc..

Esses custos serão frequentes e também obrigatórios, pois a maioria dos produtos citados são essenciais. As fraldas, por exemplo, é um dos itens bastante consumidos, por isso, é preciso estimar um gasto médio por mês, definir quantos pacotes são necessários para que o bebê tenha fraldas durante todo o período.

A dica aqui é realizar um chá de fraldas para conseguir economizar um pouco nos primeiros meses. Com uma boa organização do chá de bebê é possível conseguir um número de fraldas considerável e ter um estoque para os primeiros meses, deixando o orçamento um pouco mais folgado no curto prazo.

Planejamento da infraestrutura

Esse é um tópico de grande importância, pois o quarto do bebê será fundamental para que ele possa ter um lugar confortável para descansar. Essa infraestrutura inclui o quarto em si, os móveis e, também, a decoração. O berço para que a criança possa dormir em segurança nos seus primeiros anos de vida é fundamental, mas, também um grande gasto. Os móveis também incluem uma boa cômoda para guardar as roupas e a decoração diz respeito à tinta ou papel de parede, além de acessórios decorativos.

Adotando novos hábitos financeiros

Além de fazer uma previsão dos gastos com o bebê, também será fundamental mudar hábitos financeiros por um tempo. Reduzir o consumismo desenfreado será de extrema importância para que a conta feche no final do mês. Essa é uma oportunidade perfeita para reduzir gastos desnecessários que apenas trazem alto padrão de vida ou lazer, mas não agregam em quase nada no dia a dia.

Portanto, encontrar novas maneiras de segurar os gastos será a principal missão dos pais para que o bem-estar do bebê seja garantido. Logo, economizar com conta de água, luz e internet é o primeiro passo. Pesquisar mais vezes antes de fazer uma compra deve ser uma obrigação na hora de gastar, seja a despesa importante ou não.

Bullla

No Bullla é possível solicitar um empréstimo online entre pessoas físicas e ter à disposição uma receita a mais para adiantar despesas com o bebê. O empréstimo no Bullla possui taxa de juros menores e condições de pagamento que cabem no orçamento familiar. Tudo isso é possível graças ao fato de a plataforma ter sido desenvolvida sob o conceito de comunidade financeira, ou seja, os membros do Bullla sempre estão em primeiro lugar.

Para mais informações é só clicar aqui.