Como funciona o empréstimo entre pessoas físicas?

As SEP’s, Sociedades de Empréstimo entre Pessoas, possibilitam a realização desse tipo de transação financeira entre pessoas físicas.

Nos momentos em que é preciso solicitar um empréstimo, é muito importante estar atento às diversas possibilidades de crédito que o mercado financeiro disponibiliza. É fundamental analisar variáveis, como taxas de juros e formas de pagamento (número de parcelas), de modo a se assegurar em realizar o melhor negócio possível para cada situação, mantendo sempre o foco na saúde financeira.

De fato, são inúmeros os tipos de empréstimo que existem atualmente. Eentre eles, destaca-se o chamado empréstimo entre pessoas físicas, que, como o próprio nome já sugere, acontece quando alguém (pessoa física) empresta uma quantia em dinheiro para outro alguém (pessoa física).

A modalidade não é exatamente nova, já que sempre aconteceu informalmente. A grande novidade são as SEP’s, Sociedades de Empréstimo entre Pessoas que, atualmente, possibilitam a realização desse tipo de transação financeira entre pessoas físicas – de um modo mais seguro para ambas as partes (investidor e tomador de empréstimo).

Reguladas pelo Banco Central pela Resolução nº 4.656, do mês de Abril de 2018, as SEP’s só começaram a operar no segundo semestre de 2019 e, desde então, o número de pessoas que optam por esse tipo de empréstimo vem crescendo consideravelmente. Isso se deve a vantagens como, por exemplo:

1. Juros mais baixos para quem precisa de empréstimo: justamente por envolverem recursos de pessoas físicas, os juros são mais baixos se comparados aos praticados nas demais modalidades de empréstimo. Esse ponto está intimamente ligado à menor taxa de inadimplência neste tipo de tomada de crédito, já que o custo efetivo total é reduzido.

2. Bons rendimentos para quem quer investir emprestando dinheiro: trata-se de uma excelente forma de investir para quem tem dinheiro disponível, contando com um retorno muitas vezes mais expressivo do que outras formas de investimento.

3. Transações menos burocráticas: todo o procedimento é efetivado por meio de plataformas online das chamadas fintchs (financial technology, basicamente, startups da área das finanças) e, justamente por este motivo, a aprovação do crédito é mais ágil.

4. Movimento de democratização do acesso ao crédito: com as muitas facilidades que as SEP’s oferecem, mais pessoas passam a ter acesso a valores que podem ser utilizados para movimentar a economia, de um modo geral.

5. Fomento da expansão de empresas e incentivo para o surgimento de novos negócios: com mais pessoas tendo acesso a crédito, mais pessoas podem investir na expansão de suas atividades empresariais ou mesmo na inauguração de um negócio próprio.

São muitas as vantagens para quem se utiliza da segurança que as SEP’s oferecem – tanto para quem quer investir quanto para aqueles que precisam de dinheiro.

O Bullla é a primeira fintech a operar no Brasil nessa modalidade.

Como SEP, o Bullla é aprovado pelo Banco Central e nasceu para facilitar as transações financeiras realizadas entre pessoas físicas, dentro de uma plataforma transparente e com preços reais. Todo o procedimento é efetivado de maneira 100% online, com os melhores juros do mercado e sem burocracia.

Com o Bullla, o crédito é justo, humano e não tem banco. É rápido, prático e seguro. Clique aqui para saber mais.