Como se tornar um investidor e emprestar dinheiro por meio das fintechs

Inicialmente, emprestar dinheiro para outra pessoa pode parecer um tanto quanto arriscado, mas com a intermediação das empresas que prestam serviços financeiros com o uso de soluções de tecnologia, as chamadas fintechs, isso já se tornou possível e de uma forma mais segura. E isso é feito por meio de aplicativos ou sites que conectam quem quer emprestar a quem precisa do dinheiro.

Com essa modalidade, muita gente se pergunta se o investimento vale a pena. A média dos juros recebidos é de 4%. Se levar em conta o prazo de um ano, o retorno pode ficar bem próximo de um rendimento de 30%, já descontando a inadimplência e o Imposto de Renda. Sabe-se que, quem aplica na poupança hoje, consegue um rendimento anual de mais ou menos 4,55% ao ano e que um título atrelado à taxa básica de juros – Selic – pode render, em um ano, o percentual de 6,5%, os ganhos no empréstimo de dinheiro por meio das fintechs pode ser bem mais atrativos.

Como funciona

Essa modalidade de crédito é regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e tem crescido nos últimos anos. As exigências para quem quer ser investidor não são complicadas. É preciso acessar uma das plataformas que intermediam a negociação e fazer um cadastro. Na hora de investir, alguns requisitos devem levados em conta. Para emprestar pelas plataformas é necessário que o investidor já seja maior de 18 anos, além disso, ele precisa ser brasileiro e morar no Brasil. Vale lembrar que essa é uma determinação do Banco Central.

Para garantir a rentabilidade do negócio, a pessoa que busca pelo dinheiro passa pela análise de crédito. Assim que o investidor tem acesso às propostas de quem precisa do empréstimo, é possível analisar o perfil de quem está solicitando o dinheiro e aí ele decide se deve emprestar ou não. Dessa forma fica mais fácil fazer uma avaliação dos riscos na hora de fechar a negociação.

O Conselho Monetário Nacional estabeleceu um limite de valor a ser emprestado para um único credor. Esse valor máximo é de 15 mil reais.

Bullla

O Bullla é uma das fintechs que atuam há algum tempo na oferta dessa modalidade de crédito. É por meio do acesso a uma plataforma digital que os chamados bons poupadores podem emprestar para os bons pagadores. Um benefício é a taxa de juros atrativa no retorno do investimento.

Para garantir a maior segurança das transações, é possível conversar com o bom pagador que quer fazer o empréstimo. Esse contato é feito por meio do chat da fintech. Opção que torna a transação mais segura e transparente. Clique aqui e saiba mais.