Dicas para renegociar as dívidas e manter o orçamento em dia

É fundamental que a renegociação gire em torno de uma proposta final realista e que seja possível cumprir o acordo assinado.

Quando surgem dificuldades financeiras que podem comprometer as finanças, é essencial adotar medidas para reduzir os impactos negativos no orçamento. Dessa forma, um dos primeiros passos é focar na renegociação de dívidas para equilibrar os custos com débitos existentes. É muito importante garantir que a quitação de dívidas seja um processo planejado, ou seja, que não comprometa as receitas e acabe numa fonte de prejuízo.

Vale destacar que há várias formas de renegociar uma dívida e isso depende diretamente do credor. Com isso, o valor devido poderá ser renegociado com os bancos ou fornecedores, por exemplo. Apesar de ter que lidar com diferentes credores, existem algumas estratégias comuns que devem ser adotadas para conseguir renegociar débitos com sucesso:

Determinar o valor real em dívidas

Esse é o passo fundamental e será a base de todas as ações que serão tomadas posteriormente. É preciso saber com precisão aquilo que se está devendo. Com base nesse valor será definida a proposta de renegociação e as condições de pagamento. Sendo assim, é preciso entrar em contato com os credores e reunir informações e dados atualizados referentes à dívida, para começar a montar a proposta final.

Entender as condições de renegociação

Aceitar novas condições de pagamento sem prestar atenção aos detalhes do novo acordo é um erro grave. Por isso, outra dica fundamental é estar por dentro de todas as condições propostas para que o acordo seja assinado. Dessa forma, é fundamental ter atenção a taxas de juros, descontos que serão concedidos, viabilidade do prazo de pagamento proposto, novo valor das parcelas, além de possíveis consequências legais, caso o acordo não seja cumprido.

Definir um teto a ser gasto após a renegociação

É fundamental que a renegociação gire em torno de uma proposta final realista e que seja possível cumprir o acordo assinado. Não vai adiantar nada conseguir um plano que parece ser pagável, porém no curto ou médio prazo os valores podem voltar a comprometer o orçamento.

Logo, será preciso estudar as finanças e definir um teto de gastos com dívidas durante um determinado período que não prejudique a saúde financeira.

Barganhar é a chave para conseguir uma proposta interessante

Uma renegociação de dívida envolve barganha, muita negociação. Ou seja, quem está devendo não pode entrar nesse tipo de processo com a mente fechada pensando em apenas um único acordo ou disposto a aceitar a primeira proposta que o credor apresentar. É preciso saber exatamente quais serão os impactos que essa proposta terá no bolso, pois a renegociação visa aliviar o orçamento e não comprometê-lo ainda mais.

Utilizar o recurso da contraproposta é sempre uma boa alternativa quando uma proposta nada interessante é apresentada. Além de ser vantajosa a renegociação também deve caber nas despesas, seja no curto ou longo prazo.

Bullla

Uma das alternativas para amortizar uma dívida que está comprometendo o orçamento financeiro é conseguir um empréstimo mais em conta para aliviar as contas. Isso é perfeitamente possível por meio do sistema de empréstimos intermediado pelo Bullla. Como toda a operação é solicitada e financiada por pessoas físicas, os juros da operação são bem menores que aqueles praticados no sistema financeiro tradicional e pode ser a grande saída para amenizar os efeitos das dívidas.

Além disso, o Bullla ainda possui outra grande vantagem: todo o serviço é oferecido online. Portanto, nem será preciso sair de casa, enfrentar filas, burocracias ou qualquer coisa do tipo para solicitar o empréstimo. O crédito será solicitado pelo tomador, um investidor interessado irá bancar a operação, um contrato digital será gerado pelo Bullla que garante a lisura do processo e ambas as partes sairão satisfeitas.

Clique aqui e saiba mais.