Motivos para definir prioridades financeiras

Cortar os gastos desnecessários é uma ótima forma de não comprometer o orçamento financeiro.

Definir prioridades financeiras é um conceito fundamental para conseguir administrar o próprio dinheiro de forma mais eficiente. Essa deveria ser uma prática comum entre todas as pessoas, não importando quanto cada um ganha. Planejar e definir aquilo que é prioridade significa evitar os gastos desnecessários e o endividamento – problemas graves que devem ser evitados ao máximo.

Se as prioridades financeiras não forem definidas, é muito provável que o orçamento seja atingido em cheio no primeiro momento de crise ou imprevisto que ocorrer. A consequência direta é a perda do poder de compra, pois boa parte do dinheiro já estará comprometida, bem como a inadimplência, que acaba trazendo uma série de dificuldades na hora de solicitar crédito no mercado.

Diferenciando o urgente do importante

O primeiro passo para definir prioridades financeiras é entender a famosa regra do urgente versus importante. Ou seja, é preciso entender aquilo que é urgente, necessário e inevitável no dia a dia daquilo que é importante, simplesmente por ser valorizado ou, em alguns casos, supervalorizado pela própria pessoa. Muitas empresas de sucesso adotam essa regra para conseguir reduzir custos nas operações internas.

De forma mais geral, o conceito de urgente é aquilo que, independentemente de um significado pessoal ou não, deve ser feito. Ou seja, esses são os custos obrigatórios que incidem no orçamento e não há maneiras de evitar tais gastos.

Por outro lado, importante pode ser entendido como tudo aquilo que tem um valor específico para a pessoa, seja material ou emocional. Em alguns casos, é possível eliminar os gastos com coisas importantes uma vez entendido que o valor dado a elas está além do que a realidade financeira permite.

Uma forma fácil de separar esses dois conceitos é analisando todos os gastos fixos mensais, pois em geral eles são os gastos urgentes. Portanto, separar o valor do aluguel, contas de água, luz e telefone, além de gastos com IPTU e Imposto de Renda é uma saída para descobrir aquilo que já está comprometido no orçamento. Com isso, será possível saber o que sobrou para os gastos considerados importantes.

Eliminar gastos desnecessários

Cortar os gastos desnecessários é uma ótima forma de não comprometer o orçamento financeiro. Neste caso, a eliminação de gastos se dará pelo descarte de tudo aquilo que foi considerado como não importante e não urgente. Sendo assim, é preciso identificar esses gastos por meio de um mapeamento daquilo que está sendo gasto e definir aquilo que não é essencial, não possui um valor concreto e é dispensável.

Pagando as dívidas

Pagar todas as dívidas é algo fundamental para qualquer pessoa, pois além de comprometer o orçamento de forma progressiva, as dívidas também são responsáveis pela inadimplência. Com isso, não será possível conseguir crédito extra no mercado, alugar um imóvel, comprar bens via financeiro, por exemplo.

Definir metas

Um jeito fácil de conseguir alcançar os resultados financeiros desejados é por meio da definição de metas a serem alcançadas em curto, médio ou longo prazo. Isso vai ajudar a manter o foco e encontrar cada vez mais soluções. Definir metas pode ir desde as dívidas que devem ser quitadas durante um determinado período, até economizar dinheiro para conseguir comprar aquele carro do ano ou fazer a viagem dos sonhos.

Empréstimo entre pessoas físicas

Conseguir um empréstimo para equilibrar as contas é uma forma de ajustar o orçamento financeiro. Para isso é preciso escolher um crédito com ótimas formas de pagamento e taxas justas para que essa solução não acabe virando um problema. Por isso, a dica é optar pelo empréstimo online entre pessoas físicas, disponibilizado pelo Bullla, sem burocracia, 100% online e com os melhores juros do mercado. Clique aqui para saber mais.