Motivos para separar o profissional do pessoal e alavancar os negócios

Ter uma reserva de emergência é uma ótima forma de antever cenários de crise e não precisar usar o caixa da empresa para ultrapassar épocas difíceis.

Um dos principais erros cometidos por profissionais autônomos e microempreendedores é não diferenciar aquilo que é receita do negócio daquilo que é receita ou despesa pessoal. O resultado é uma confusão enorme que pode, em casos extremos, significar a falência do negócio devido à má gestão financeira. Gestão financeira é algo muito importante em qualquer ambiente de negócios, não importa o tamanho da empresa. Por isso, quanto mais rápido as finanças pessoais e da empresa forem devidamente separadas, maiores serão as chances de sucesso.

Quais as consequências de não separar as finanças pessoais e empresariais?

A primeira grande consequência será a perda do controle financeiro. Será muito mais difícil medir os resultados financeiros em um determinado período e decidir se a empresa está com boa saúde financeira.

Outro grande problema notado será a total falta transparência quanto aos gastos da empresa. Uma vez que despesas pessoais e empresariais são a mesma coisa será complicado medir aquilo que realmente foi gasto para que as operações do negócio continuassem funcionando. Sem conseguir fazer uma análise precisa do balanço financeiro da empresa é impossível saber se ela está dando lucro ou prejuízo.

Planejamento nas esferas pessoais e, principalmente, empresarial será algo comprometido. Com o caixa da empresa sendo utilizado para gerar receitas pessoais é complicado e arriscado fazer quaisquer previsões e definir cenários para o futuro do negócio. No lado pessoal é gerado um ciclo vicioso, pois o empreendedor sempre terá a possibilidade de conseguir dinheiro através da empresa uma vez que uma necessidade surgir, o que acaba prejudicando o desenvolvimento pessoal e profissional.

Como separar as despesas e não comprometer a empresa?

O primeiro passo é, sem sombra de dúvidas, separar as contas bancárias empresarial e pessoal. Ou seja, a conta da empresa será utilizada apenas para operações que estão ligadas às operações do negócio, enquanto que a conta pessoal é direcionada para as despesas pessoais.

Além disso, o empreendedor nunca deve utilizar o cartão empresarial para fazer compras de caráter pessoal. Assim como as contas bancárias, os cartões de crédito também devem ser utilizados de forma exclusiva, seja pela empresa ou pelo empreendedor.

Planejar o próprio salário ao invés de fazer retiradas quando achar conveniente é outra boa prática. A remuneração mensal do empreendedor pode ser definida por meio do pró-labore. É preciso ficar atento ao valor final da remuneração, pois apesar de não estar inserida na CLT há incidência de INSS e, a depender do valor, também será cobrado Imposto de Renda.

O lucro é bastante importante para o planejamento e futuro da empresa. Por isso, é muito importante o empreendedor evitar fazer retiradas exacerbadas e sem nenhum tipo de planejamento, ainda que a empresa esteja dando lucro constantemente.

Outra dica muito importante é começar o planejamento financeiro a nível pessoal. As retiradas no caixa da empresa sempre vão começar quando um problema financeiro pessoal surgir. Dessa forma, se as finanças pessoais estão indo bem não haverá nenhuma necessidade de começar a comprometer as receitas do negócio. Ter uma reserva de emergência é uma ótima forma de antever cenários de crise e não precisar usar o caixa da empresa para ultrapassar épocas difíceis.

Bullla

Mais indicado do que fazer retiradas irresponsáveis do caixa da empresa é a possibilidade de solicitar um empréstimo online entre pessoas físicas. Essa operação pode ser feita por meio do Bullla, uma fintech do setor financeiro que atua na aproximação de tomador e investidor de forma a facilitar o acesso a linhas de crédito para pessoas físicas.

O Bullla reúne todas as vantagens que uma empresa digital do setor financeiro deve ter:

  • Rapidez e praticidade na oferta dos serviços além de muita segurança;
  • As melhores taxas de juros e condições de pagamento do mercado;
  • Todos os serviços são oferecidos online;
  • Nada de burocracia ou necessidade de sair de casa para conseguir o empréstimo.

A operação funciona de forma bem simples. Um tomador solicitar o crédito, o Bullla analisa o perfil, a solicitação é aprovada e um investidor interessado disponibiliza o dinheiro para financiar o empréstimo. Todo o processo é intermediado pelo Bullla e oficializado por meio de um contrato digital assinado por ambas as partes e garantido pelo Bullla.

Para mais detalhes basta clicar aqui.