Necessidade ou desejo: que diferença faz na hora da compra?

Manter o orçamento em dia para evitar passar aperto é o objetivo de toda pessoa que está em busca de uma vida financeira mais tranquila.

Acumular dívidas, ter um monte de boletos atrasados e ficar com o saldo negativo mês após mês são decorrentes do seu padrão de consumo. Sabe aqueles passeios não planejados ou aquela compra por impulso? Pois é, esse tipo de consumo pode estar prejudicando bastante sua vida financeira.

Quem está com as contas apertadas ou já está próximo de chegar a esse ponto, sabe exatamente como é difícil manter o controle, não é mesmo?

Além do próprio padrão de consumo desenfreado, a pessoa tem que lidar com uma série de outros problemas que precisam ser resolvidos e comportamentos que precisam ser mudados para manter o orçamento em dia.

Mas não é nada fácil mudar do dia para noite, concorda? São práticas de vários anos e leva tempo para se organizar e ir mudando aos poucos.

Não precisa entrar em desespero, achando que só um milagre pode resolver a sua vida! Manter o orçamento em dia pode ser uma tarefa um tanto complicada para quem já está cheio de problemas financeiros, mas não é impossível.

E, se você é uma das pessoas com padrão de consumo por impulso, ou seja, que faz um monte de compras que, na verdade, não tinham necessidade, saiba que o primeiro passo da sua jornada rumo ao equilíbrio financeiro será entender a diferença entre necessidade e desejo na hora de uma compra.

Diferença entre necessidade e desejo no padrão de consumo

Como o próprio nome já diz, necessidade vem de algo que é necessário, ou seja, que terá uma grande utilidade na sua vida – que não pode ser ignorado. Uma necessidade é um gasto essencial, obrigatório e que permite que você consiga manter um padrão mínimo de bem-estar. Se você está pensando em alimentos, água, roupas para o dia a dia, pagamento do aluguel, pagamento da mensalidade da escola dos filhos, por exemplo, então, você já entendeu bem o que significa uma necessidade.

Mas e o desejo, como ele influencia no meu padrão de consumo?

O desejo é nada menos que todo o resto que não se encaixa em necessidade. Ou seja, são gastos que você faz ao longo do mês que até podem elevar o seu padrão de vida, mas no final acaba agregando mais dívidas no seu orçamento.

Então é errado fazer compras movidas puramente pelo desejo?

Claro que não! Quem não quer entrar naquela loja bacana e comprar um tênis novo, lançamento no mercado? Quem não gostaria de trocar o celular antigo por um smartphone mais recente?

Algumas perguntas que precisam ser feitas antes da compra são: meu orçamento permite adquirir esse item? Vale a pena fazer uma nova dívida? Eu realmente preciso de um tênis novo, meus tênis antigos não dão conta do recado? Quais vantagens em trocar o smartphone por outro que acabou de ser lançado?

Tudo vai depender de como andam suas finanças e se você está precisando economizar. É preciso ter equilíbrio, saber decidir quando é e quando não é o momento de fazer uma nova dívida.

Não podemos negar o fato de que comprar por puro desejo de ter o carro do ano, sair para jantar fora frequentemente, comprar uma TV nova pode melhorar bastante sua vida e trazer mais momentos felizes. Porém, se o orçamento não está controlado, as dívidas chegam e essa felicidade cai por terra.

Precisando quitar as dívidas?

Que tal pedir um empréstimo entre pessoas físicas e ter uma série de vantagens como taxas de juros mais justas, serviço online sem burocracia e tudo feito de forma transparente? O Bullla oferece tudo isso e um pouco mais. Além disso, se você é um bom pagador e quita suas dívidas em dia, o Bullla possui um sistema de nota de crédito próprio que beneficia os bons pagadores. Sendo assim, você tem acesso a empréstimos com juros ainda mais baixos e condições de pagamento que cabem no seu bolso!

Para mais informações acesse www.bullla.com.br.